sexta-feira, 27 de junho de 2008

Tolerância no Mundo

Estas palavras não são minhas e não me importaria nada se fossem. São de uma jovem preocupada e interessada nas coisas que a rodeiam. Sabe o que quer, sabe para onde vai e conta sempre com o próximo. Tem as loucuras próprias da idade. Mas é bonita, por fora e por dentro.



Vila da Esperança, dia de começar, do ano de agora

Exm° Sr. Alguém-Que-Podes-Ser-Tu,

Venho, por este meio, pedir-te um favor.
Estejas tu longe ou perto, não importa a caminhada,
vou ao teu encontro, percorro esta estrada.
Apenas te peço uma oportunidade:
que me escutes com atenção e humildade.
Suponho que saibas quem sou.
Sou aquela menina que agora acordou,
que de súbito olhou o mundo
e não gostou do que encontrou.
Tu, como eu, não o queremos assim.
Queremos igualdade e paz para ti e para mim.
Achas que seria pedir de mais que a cor fosse ignorada
e o verdadeiro sentimento fosse a coisa mais respeitada?
Que tal se a cor fosse insignificante
e nos preocupássemos com algo mais importante?
Que tal se o homem fosse mais tolerante?
Gostava de te sugerir que, por um dia,

todos fôssemos iguais.
Será que a atitude não mudava?
Será que o nosso frio coração não passava a aceitar?
Tenho tanta coisa para te perguntar...
E se por agora a religião fosse esquecida
e a nossa causa fosse a união?
E se todos os meninos do mundo

tivessem uma vontade em comum?
E se tanta vaidade se tornasse humildade?
Tens muito por onde começar,
a missão está longe de acabar.
Se todos fôssemos mais tolerantes,
talvez não houvesse crianças maltratadas,
talvez não fossem tão exploradas.
Se calhar tantas lágrimas não eram choradas,
se calhar tantas atitudes eram evitadas.
Talvez a corrupção não fosse a segunda opção,
talvez a pobreza tivesse uma solução.
Talvez optássemos pela união.
Talvez... talvez? Tens resposta para esta questão?
Enquanto tantos sorriem,
outros tantos choram,
outros tantos agridem
e outros imploram.
Todos de costas voltadas,
nesta pequena bola azul.
E se nós chutarmos a indiferença?
E se a nossa convicção for uma crença?
Tu tens esse poder...
Faz cada um de nós crescer.
Faz a tolerância acontecer.
Queres um porquê? Eu dou-te o teu porquê:
felizmente cresci, e eis que me apercebi...
O mundo não era perfeito,
grande parte dele a sofrer
e eu sem nada fazer.
Descobri então que todos éramos um nada,
que todos estávamos separados,
a lutar por objectivos disparatados.
Se o mundo fosse diferente,
uma menina esquecida,
num grito de apelo,
numa ânsia desmedida,
não tinha que escrever um texto a implorar
que a prioridade fosse a tolerância,
que o que nos move não seja a insignificância.
A verdade é que a oportunidade surgiu ...
Sei que nem todos falam contigo,
sei que nem todos te tratam como um amigo,
sei que nem todos conseguem pedir,
mas eu peço, não vou fugir.
Tenho uma folha na mão,
escrevo-te tudo o que me vai no coração.
Já não tenho vergonha de falar contigo,
vergonha é a resignação,
é voltar as costas a quem posso dar a mão.
Não quero, outra vez, virar a cara,
fingir que tudo está bem,
quando alguns nada têm.
Agora que falei contigo sinto-me contente,
podemos mudar as coisas falando no presente.
O futuro é longe, é apenas um tempo verbal,
não sabemos se correrá bem ou mal.
De tolerância em punho, vamos desfilar.
O mundo que construímos?
Passamos a apresentar:
vejo meninas sorrirem de boneca na mão,
vejo meninos desenharem um avião.
Vejo a mulher respeitada nos direitos que merece
e o seu homem amado logo que aparece.
Vejo brancos e negros debaixo do mesmo tecto,
lares multicolores onde reina o afecto.
Para todos comida, para todos medicamentos,
para cada um liberdade e alento.
As armas guardadas e o rancor esquecido,
o que passou... passou, é um inimigo vencido.
Junta-te a este cortejo e traz um amigo.
Caminhamos em frente, num todo unido.
Todos remamos no mesmo sentido.
Então não te esqueças: agarra a oportunidade.
Tolerância no mundo é a nossa vontade.
Por um mundo melhor, por ti que estás aí.

Com a maior esperança,



Menina número 973848234789838405...

Beatriz Caetano, 15 anos

4 comentários:

Papoila disse...

É uma jovem linda!
Destaco:
"Enquanto tantos sorriem,
outros tantos choram,
outros tantos agridem
e outros imploram.
Todos de costas voltadas,
nesta pequena bola azul.
E se nós chutarmos a indiferença?
E se a nossa convicção for uma crença?
Tu tens esse poder...
Faz cada um de nós crescer.
Faz a tolerância acontecer."
Por coincidência hoje damos voz a crianças!
Beijos

o escriba disse...

Papoila

Bonita coincidência o facto de darmos voz a esta juventude atenta e preocupada. O futuro é deles!
É tempo de os senhores do mundo pararem um pouco para ouvir o que eles têm para dizer em defesa de um mundo melhor. É nosso dever divulgar as suas palavras.

Um abraço
Esperança

Jorge P.G disse...

Uma ode singela à Esperança e à Solidariedade, ao Ser Humano!
A provar que a nova geração não é rasca como a querem pintar.

Um abraço.
Jorge P.G.

o escriba disse...

Jorge

Não, de modo algum esta geração é rasca! Usando uma expressão muito estafada, esta geração anda "à rasca" com tudo o que os que mandam andam a fazer. Divulguemos, pois, as palavras desta juventude inquieta com o futuro.

Um abraço
Esperança