sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Noites e Feiticeiras...

Sete Luas
Há noites que são feitas dos meus braços
e um silêncio comum às violetas
e há sete luas que são sete traços
de sete noites que nunca foram feitas
Há noites que levamos à cintura
como um cinto de grandes borboletas.
E um risco a sangue na nossa carne escura
duma espada à bainha de um cometa.
Há noites que nos deixam para trás
enrolados no nosso desencanto
e cisnes brancos que só são iguais
à mais longínqua onda de seu canto.
Há noites que nos levam para onde
o fantasma de nós fica mais perto:
e é sempre a nossa voz que nos responde
e só o nosso nome estava certo.
Natália Correia
Feiticeira
Luís Represas

video

27 comentários:

peciscas disse...

Duas excelentes propostas para assinalar a época.

Tiago R Cardoso disse...

gosto da musica sim senhor, enorme escolha.

o escriba disse...

Peciscas

Já que o Hallowe'en é uma tradição importada, porque não assinalar com duas coisas boas portuguesas?
Obrigada.

Um abraço
Esperança

o escriba disse...

Tiago

Obrigada pela apreciação.

Um abraço
Esperança

Sophiamar disse...

Obrigada! Obrigada! Obrigada!

Ajudaste-me a começar muito bem o dia.

Bem-hajas, Esperança, amiga!

Bjinhos mil

Papoila disse...

O poema e a música muito bem conjugados.
Beijo

Jorge P.G disse...

Como gostei de reler aqui a força enorme da escrita de Natália Correia! E que falta imensa ela faz, nas Letras e no meio daqueles cinzentões meio-aparvalhados do Parlamento!

Um Grande abraço, Beb.

NOTA: Continuamos com parcos comentários, não? É o preço de não andarmos a despejar cestos de beijinhos e desejos de bom f-de-s pelas casinhas de muita gente.
Desculpe este desabafo público, mas é o que sinto. Acontece que, normalmente, quandou dou com blogues interessantes e com qualidade recomendável, estes têm pouquíssimos comentários. Engraçado, não?!
rrrssss....

MAIS UM ABRAÇÃO.

Sophiamar disse...

Metendo a foice em seara alheia, depois de ter lido o comentário do Jorge, também não compreendo como blogues como o teu e os do Jorge não têm mais comentários mas lá virá o tempo em que isso acontecerá.
Acredito no que acabo de dizer pois não só tenho aprendido muito convosco como tenho sentido a vossa amizade, o vosso incondicional apoio, a vossa presença constante neste momento tão delicado da minha vida.

Bem-hajam preciosos amigos.

Bjinhos, Esperança!

o escriba disse...

Isabel

Querida Amiga, enfim de volta!!!
Que bem me sabe ter-te aqui!
Espero que já estejas completamente bem, desejo-o de todo o coração!
Esta é a minha maneira de celebrar uma data que não é nossa, ainda que gostaste!

bjinhos muuuuito grandes
Esperança

o escriba disse...

Papoila


Obrigada. As palavras de Natália e a voz do Luís Represas são coisas que nos fazem bem.


bjs
Esperança

o escriba disse...

Jorge

Ainda me lembro das palavras inflamadas da Natália na Assembleia! Eram abanões desses que os de agora precisavam, sem dúvida!

Gostei do seu desabafo! Sinto o mesmo, não em relação ao meu, mas a outros que visito e que têm coisas muito boas.
Por outro lado há muitos, bastantes mesmo, que a duas ou três coisas têm listas intermináveis de comentários, provavelmente de um círculo de amigos também interminavelmente alargado.
Sabe, quando iniciei este espaço, e disse-o no 1º post, pensei até que ninguém o iria ler. Hoje tenho meia dúzia de amigos que fazem o favor de vir cá espreitar, sem obrigações, mas sei que são bons, que gostam mais ou menos das mesmas coisas que eu, que me fazem passar bons momentos. E são estes que contribuem para este meu exercício de ocupação do espírito.
Lembra-se o Jorge de ter escrito sobre isso na resposta que deu a um comentário de alguém lá no seu Sino? Sobre o perfil dos bloguistas? Concordei consigo na altura ( e ainda era nova no assunto) e continuo a concordar consigo agora!

Um grande abraço ao Sineiro
Esperança

o escriba disse...

Isabel

Querida Amiga, respondo-te com a segunda parte da minha resposta ao Jorge. Deixa lá! Somos poucos mas de qualidade superior (em amizade, claro!)

bjinhos
Esperança

Miguel disse...

Grande poema iluminado pela excelente melodia dos Trovante ...!

Um BOM FDS!
Bjks da M&M & Cª!

lagartinha disse...

Vim desejar um bom inicio de semana e
deixar um beijinho, mas antes, como não consegui deixar de ler os comentários do Jorge e da Sophiamar, agradeço em dobro as visitas que me tem feito, já que é praticamente a única...das duas umas: ou aquilo não tem qualidade nenhuma ou sou eu que não consigo fazer amigos!
Bjs e abraços verdes

elvira carvalho disse...

Passei. Deixo um abraço e votos de uma excelente semana.

o escriba disse...

Miguel

Gosto particularmente deste poema da Natália. Faz falta a poesia dela.

Beijos à Matilde & Cª
Esperança

o escriba disse...

Ana Lagartinha

Não pense isso do seu espaço nem de si. A blogosfera tem destas coisas e se pensarmos que, ao criarmos um blog, criámos algo para nossa fruição, o resto não interessa. Se os outros gostarem, tanto melhor, se não, paciência.
EU gosto muito da sua lagartinha e das coisas sinceras que lá põe, enche-me de ternura.

Boa semana para si
bjinhos
Esperança

o escriba disse...

Elvira

Boa semana e boas melhoras para si.

bjs
Esperança

aagspa disse...

- Como posso continuar considerando o mundo real se o “EU” que esta fazendo com seja real, é intangível? ( dvd, quem somos nós?).
Agora pergunto: Para uma bruxa, mulher com sabedoria, o Deus interior a que se refere, é o “eu” interior? E mais, o Deus interior seria a consciência que habita o térno corporal biológico? Se a resposta for afirmativa; Onde está o “amor”, em face a esta prisão biológica?
- meu e-mail é. aagspa@hotmail.com
-Adorei o que ví, porém não encontro as resposta que busco, mesmo porque, vivo aquí neste sítio absolutamente só a 8 anos.

aagspa disse...

- Como posso continuar considerando o mundo real se o “EU” que esta fazendo com seja real, é intangível? ( dvd, quem somos nós?).
Agora pergunto: Para uma bruxa, mulher com sabedoria, o Deus interior a que se refere, é o “eu” interior? E mais, o Deus interior seria a consciência que habita o térno corporal biológico? Se a resposta for afirmativa; Onde está o “amor”, em face a esta prisão biológica?
- meu e-mail é. aagspa@hotmail.com
-Adorei o que ví, porém não encontro as resposta que busco, mesmo porque, vivo aquí neste sítio absolutamente só a 8 anos.

lagartinha disse...

Passei só para deixar uma beijoca (VEEERDE!)

joshua disse...

Maga da palavra.

Sophiamar disse...

Faz um post sobre o Prémio de poesia Dr. João Lúcio.

Beijinhos

o escriba disse...

aagspa

Tenho muito gosto na sua visita.

Quanto às questões que apresenta, a minha opinião sobre o assunto não caberia, evidentemente, neste espaço. Porém sempre lhe digo que o que procuramos dentro de nós não é biológico, é espiritual e tem a ver essencialmente com os conceitos que temos ou perspectivamos. Eu não concebo o Amor assim como apresenta, entre aspas e com minúscula. Para mim Deus é o princípio e o orientador de todas as coisas.O nosso livre arbítrio apenas nos dá margem de manobra.
Volte sempre

Um abraço
Esperança

o escriba disse...

Ana Lagartinha

Bjinhos muito verdinhos para si. O seu SCP fez um vistaço e alcançou, ao que sei, uma posição que ainda não tinha alcançado em competições europeias. Parabéns!

bjinhos
Esperança

o escriba disse...

Joshua

Obrigada pela visita e pelo comentário.

Um abraço
Esperança

o escriba disse...

Isabel

Querida Amiga, proposta aceite, tão depressa saiba alguma coisa sobre o assunto, do qual nunca ouvi falar.

bjinhos
Esperança