segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Efeméride

Roberto Ivens 

Roberto Ivens, militar e explorador português do continente africano, nasceu a 12 de Junho de 1850, na Ilha de São Miguel, nos Açores, e morreu a 28 de Janeiro de 1898, tendo alcançado o cargo de capitão-tenente. Filho de Margarida Júlia de Medeiros Castelo Branco, de apenas 18 anos de idade, oriunda de uma família de modestos recursos, e de Robert Breakspeare Ivens, de 30 anos, filho do abastado comerciante inglês William Ivens, residente em Ponta Delgada desde 1800. Robert Breakspeare Ivens era bisneto materno do famoso Thomas Hickling, vice-cônsul americano em Ponta Delgada.
Em 1861 Roberto Ivens é inscrito na Escola da Marinha, em Lisboa, ali fazendo os estudos que o conduziram a uma carreira como oficial de marinha. Foi sempre um estudante inteligente e aplicado, mas igualmente brincalhão.Depois de viajar por diferentes países, Ivens foi nomeado, em 1877, para acompanhar Hermenegildo Capelo e Serpa Pinto numa expedição proposta pela Sociedade de Geografia de Lisboa. O objetcivo desta expedição era explorar o continente africano, se possível efectuando a ligação entre a costa atlântica e a costa do Índico, para recolher informações de carácter geográfico que facilitassem o comércio e as comunicações.De regresso a Lisboa, Roberto Ivens foi alvo de grande homenagem pelo trabalho efetuado em África. Das suas viagens ficaram os relatos De Angola à Contracosta e De Benguela às Terras de Iaca, que Ivens escreveu com Capelo.

Wikipedia e Infopedia

3 comentários:

Jorge P.G disse...

Este foi um dos homens que deixaram o seu nome gravado a ouro na nossa História.
Os de hoje...

Obs. Ainda por aqui anda o relógio que lhe ofereci para a Soma das Letras. Que giro revê-lo, Esperança!
Um abraço.

Zé Povinho disse...

Ele e o companheiro na aventura tiveram a honra de ser recebidos pelo rei numa audiência no Palácio Nacional de Sintra, que decorreu na Sala das Pêgas.
Abraço do Zé

Papoila disse...

Olá
Voltei e a pouco e pouco vou visitando os amigos.
É bom recordar grandes vultos da nossa história e dá-los a conhecer aos mais novos.
Os actuais ficarão na história pelos piores motivos...
Beijo