domingo, 17 de maio de 2009

Letras de Futebol

Não vou muito à bola com o futebol, mas como o meu amigo João André ainda me me marcava um grande fora de jogo se não falasse disto, cá vai!O Sporting Clube Olhanense subiu à Primeira Divisão (acho que ainda é assim). Grande Clube nacional em épocas recuadas, andou arredado da ribalta futebolística durante 36 anos!
Para celebrar este feito, recordo a grande equipa dos anos quarenta, na pena de um autor olhanense, Leonel Maria Baptista:



Isso porque
O Sporting Clube Olhanense,
além do seu recente passado glorioso,
possuía nessa época
uma equipa de grande expressão,
cujo futebol arte
-duma beleza sem igual-
fazia enorme sensação
Pelos estádios de Portugal…
E ganhar-lhe no seu reduto
não representava para qualquer “onze”
- nem mesmo considerado grande –
uma tarefa comesinha,
a não ser quando facilitada
por juízes corruptos ou à toa
como o famigerado Palhinha
a quem o Joaquim Paulo
quase fez engolir o apito
numa partida com o “Sporting de Lisboa”.
Era, de facto, um grupo aguerrido e valoroso
Esse Olhanense dos meus tempos de menino
Cuja retaguarda
A todos entusiasmava e fazia vibrar com:
As sensacionais defesas do Abraão;
As cabeças em mergulho
Do João Rodrigues – “O Submarino” –
E as vigorosas entradas do Nunes – “O Ginjão” –.
Se a defensiva desse “onze" glorioso
Era firme e valente,
Não o era menos
O trio dinâmico e voluntarioso
Posicionado à sua frente,
em que, recuado no centro,
actuava o destemido e elástico Loulé,
a quem a moçanhada chamava
de “Boneco do borracha
pois mal caía no chão
logo se punha de pé
prontinho para o vai ou racha…
Os outros dois integrantes do trio
- que pugnavam mais avançados
Na área intermédia de disputa –
Eram:
O excelente e denodado Grazina
- um grande e incansável guerreiro
Que jamais se negava à luta –
E o calmo e pendular João dos Santos
Que sempre se dava ao jogo por inteiro.
Era, todavia, a linha atacante
A que aos adeptos mais empolgava,
Quer pela enorme capacidade operante,
Quer pelo futebol alegre e vistoso
Que tão primorosamente praticava.


Jogadas de categoria extra,
Só próprias de grandes virtuosos,
Como tantas, de enorme tecnicismo e beleza,
Do Joaquim Paulo e do João Palma.

Tanto assim era
Que o Cabrita e o Salvador,
Dois goleadores eméritos,
Chegaram a envergar a “camisa das quinas”
Não, como tantos outros, por favor,
Mas por reais e reconhecidos méritos
Que também eram apanágio
do Palmeiro e do Moreira,

Quando esse grupo fabuloso ganhava,
O que era absolutamente normal,
Todos se sentiam invadidos
Por uma enorme alegria
Que a moçanhada exteriorizava
Com calorosos joguinhos de bola
Até escurecer o dia.

Como eles
Eu também joguei à bola
Pelos campos e larguinhos de Olhão,
Desde o Largo do Zé do Cerro até ao da Feira

Porque para mim, jogar futebol
Era apenas a minha melhor brincadeira.

foto - Raminhos Pinho, SCO, 90 Anos de História
Texto: Leonel Maria Baptista, A Vila de Olhão da Minha Recordação


7 comentários:

alcinda leal disse...

Parabéns!
Quando eu era miúda lembro-me que o Olhanense,o Farense, o Portimonense eram equipas da 1ª divisão! É agradável uma delas voltar a esta situação,mesmo para uma pessoa que só gosta de saber os resultados!
Também gostei do texto poético que juntou!
Boa semana
Alcinda

o escriba disse...

Alcinda

Obrigada. Pode ser que traga alguma mais-valia para a cidade, que tão carecida anda.

Boa semana também para si
bjs
Esperança

Isamar disse...

E viva o Olhanense! Finalmente, temos clube algarvio na 1ª divisão.

Bem-hajas!

Bjinhos

Zé Povinho disse...

Haja quem "cante" a sua terra e as suas gentes. Também não sou dado às coisas da bola, mas afinal há um grande estádio de futebol quase sem uso que bem pode ser usado por um clube da região.
Abraço do Zé

Jorge P.G disse...

Desse Olhanense não tenho memória, pois ainda nem era nascido.
Lembro-me de ouvir falar do Grazina, desse sim.
Poré, tenho ideia perfeita de alguns jogadores dos anos 60 que davam cartas em olhão, no estádio Padinha, onde era sempre difícil aos grandes "passar".
Lembro-me bem do guarda-redes, o Filhó, assim como do Reina, do Luciano, coitado, um defesa central que veio para o Benfica e faleceu num estúpido acidente; e acho que também havia um Madeira, avançado se não me engano.

POIS SEJA MUITO BEM-VINDO AO PRINCIPAL CAMPEONATO O S.C.OLHANENSE

BOA SORTE !

UM ABRAÇO.

ana disse...

Olá!acabo de encontrar algo escrito por um tio meu e venho perguntar se por acaso sabe algo do paradeiro deste senhor pois há dez anos que o procuro Leonel Maria Baptita de Olhão.Obrigado, o meu contacto analuisapatricio@hotmail.com

ana disse...

Olá!acabo de encontrar algo escrito por um tio meu e venho perguntar se por acaso sabe algo do paradeiro deste senhor pois há dez anos que o procuro Leonel Maria Baptita de Olhão.Obrigado, o meu contacto analuisapatricio@hotmail.com