terça-feira, 7 de outubro de 2008

Mês Internacional das Bibliotecas Escolares


José Fanha e António Torrado vão promover a leitura

Os escritores José Fanha e António Torrado, figuras de referência da literatura infanto-juvenil, vão estar em Olhão durante o mês de Outubro, promovendo diversas acções de promoção do livro e da leitura.
A propósito do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares, que se comemora durante todo este mês, a Biblioteca Municipal de Olhão, uma das aderentes à iniciativa, elaborou um programa de acções dirigido à comunidade escolar e em particular aos alunos dos 2º e 3º Ciclos e ainda do Ensino Secundário.
Atrair os mais novos para o mundo das palavras e da leitura apresenta-se como o propósito em vista, criando importantes hábitos e necessidades ainda em tenra idade.
José Fanha estará na Biblioteca Municipal de Olhão nos dias 8, 9 e 10 de Outubro e de 27 a 29 será a vez de António Torrado deslocar-se àquela cidade algarvia.
Os dois escritores vão espalhar histórias e palavras em sessões em que estarão rodeados de jovens, dentro de projectos que desenvolvem neste âmbito, pois já lançaram redes de leitura em escolas e bibliotecas e fundaram clubes de leitores, participando regularmente em sessões de promoção da leitura e do livro.
Dada a juventude da Biblioteca Municipal de Olhão, ainda não existe um clube de leitura naquela estrutura podendo a acção prevista para este mês constituir o primeiro passo nesse âmbito.
(Armando Alves in Correio da Manhã)

É já amanhã a sessão na Biblioteca Municipal com o José Fanha.
Das muitas coisas escritas que aqui tenho dele, escolhi este poema que fala de Amor.

GRITO

De ti que inventaste
a paz
a ternura
e a paixão
o beijo
o beijo fundo intenso e louco
e deixaste lá para trás
a côncava do medo
à hora entre cão e lobo
à hora entre lobo e cão.

De ti que em cada ano
cada dia cada mês
não paraste de acender
uma e outra vez
a flor eléctrica
do mais desvairado
coração.

De ti que fugiste à estepe
e obrigaste
à ordem dos caminhos
o pastor
a cabra e o boi
e do fundo do tempo
me chamaste teu irmão.

De ti que ergueste a casa
sobre estacas
e pariste
deuses e linguagens
guerras
e paisagens sem alento.

De ti que domaste
o cavalo e os neutrões
e conquistaste
o lírico tropel
das águas e do vento.

De ti que traçaste
a régua e esquadro
uma abóboda inquieta
semeada de nuvens e tritões
santidades e tormentos.

De ti que levaste
a volupta da ambição
a trepar erecta
contra as leis do firmamento.

De ti que deixaste um dia
que o teu corpo se cansassse
desta terra de amargura e alegria
e se espalhasse aos quatro cantos
diluido lentamente
no mais plácido
silente
e negro breu.

De ti
meu irmão
ainda ouço
o grito que deixaste
encerrado
em cada pétala do céu
cada pedra
cada flor.
O grito de revolta
que largaste à solta
e que ficou para sempre
em cada grão de areia
a ressoar
como um pálido rumor.
O grito que não cansa
de implorar
por amor
e mais amor
e mais amor.

José Fanha, in "Breve tratado das coisas da arte e do amor"

12 comentários:

Tiago R Cardoso disse...

desconhecia...

grande divulgação, gostei do post.

Sophiamar disse...

O mês de Outubro é o mês internacional das bibliotecas escolares. No ano de 2007, José Fanha veio à Biblioteca Municipal de Faro, a Biblioteca António Ramos Rosa. Foi uma manhã de leitura, de diálogo com o poeta, o escritor que admiro há muitos anos, desde os tempos de um concurso " A Visita da Cornélia". Ler continua e continuará a ser um prazer.O contacto com o livro em papel foi imprescindível para a nossa geração e espero que saibamos transmitir que esse tipo de leitura é embarcar numa aventura. Sempre fantástica!

Beijinhos

o escriba disse...

tiago r cardoso

É importante para nós, professores, especialmente da província, a visita destas pessoas que os miúdos só conhecem o nome do rodapé dos textos. É uma interacção produtiva.

Obrigada
Um abraço
Esperança

o escriba disse...

Isabel

Amiga, amanhã vou participar na formação que o José Fanha dá aqui na Biblioteca. Estou ansiosa. Conheço os seus trabalhos, costumo visitar os seus blogs. Gosto de o ler.

bjinhos
Esperança

Sophiamar disse...

Passei para te deixar um abraço. Gosto de ti, amiga. E só o facto de te chamares Esperança me enche um pouco dela. As tuas palavras dão-me alento e ando tão faltada dele.

Bem hajas!

Beijinhos

peciscas disse...

Este tipo de iniciativas é, para além de necessário, urgente.
No meio de tanto folclore gratuito e ineficaz que, muitas vezes encharca as nossas escolas, cativar os alunos para o gosto da leitura, é tarefa inadiável.
E esses dois escritores são uma excelente escolha.

o escriba disse...

Isabel

Amiga, pensa sempre que há outros em pior situação do que nós.
Também gosto de ti,menina marota da serra algarvia encantada.


bjinhos
Esperança

o escriba disse...

peciscas

Sabe que os meus alunos apreciam este tipo de iniciativas? Ver ao vivo e a cores um autor que sabem existir pela nota de pé de página é importante para eles.
Estas duas visitas do José Fanha e do António Torrado são muito bem acolhidas.

Um abraço
Esperança

lagartinha disse...

Esperança
Obrigada pela pela visita e preocupação. Não se passa nada de especial, apenas tenho de alterar algumas configurações na página, que com tantas mexidelas, está agora a queixar-se...e como sou um pouco "loura", demora algum tempo...
Eu volto, ainda mais verde!
Bjs

Jorge P.G disse...

Esperança, o José Fanha escreve tão bem como mal canta!
Quanto ao António Torrado, há muitos e muitos anos que é um dos melhores autores de literatura infanto-juvenil.
Um belo par de escritores para a miudagem de Olhão conhecer ao vivo!

Um abraço.

JOSÉ FANHA disse...

Queridos amigos e, sobretudo, querida Esperança (que nome tão bonito!),

Muito agradeço o post da Esperança e os vossos tão generosos comentários.

Dar a ler é ajudar a crescer. Esse é hoje o meu trabalho. Além do de semeador de versos. Mas isso é uma forma de respirar, um ofício voador, uma forma de manter a esperança acesa.

Abraços e beijos,

José Fanha

o escriba disse...

José Fanha

Seja muito bem vindo ao meu canto!
Gostei muito do encontro. Partilharam-se experiências, conversou-se, aprendeu-se!
Muito obrigada.
Volte sempre

Um abraço
Esperança