segunda-feira, 23 de junho de 2008

Noite de S.João


Fernando Pessoa dizia que as quadras populares são o vaso de flores que o Povo põe à janela da alma.

Há mais de 75 anos que o Jornal de Notícias promove o concurso de quadras populares, no âmbito das festas do S. João. Aqui vão algumas:

No dia de S. João
Há fogueiras e folias
Gozam uns e outros não
Tal como nos outros dias

Aqui tens meu coração
Decide da sua sorte
Mas olha que S. João
É contra a pena de morte (1931)

Quando as saias arregaça
Para bailar livremente
Maria, cheia de graça
Faz a desgraça da gente (1931)

Teus lindos olhos cravaste
Nas fogueiras, com ciúme
E de novo incendiaste
As próprias cinzas do lume (1933)

Da imensa cascata erguida
Sobre este monte bizarro
Apenas somos, na vida,
Pobres bonecos de barro (1944)

Trocaste um passo na roda
E desse passo mal dado
Houve arroz doce na boda
Que sabia a baptizado (1947)

Ficar sem festa e sozinha
É tudo quanto me resta
Porque os foguetes que tinha
Deitei-os antes da festa (1953)

Povo! Na tua fé louca
Cantavas pra não chorar!...
Hoje sem cravos na boca
Choras de poder cantar (1974)

Com certas moças não brinco
Em noite de S. João
São como porta sem trinco
Que faz de um homem ladrão (1980)

Tenho o salário em atraso
Mas vou pra rusga contente
Hoje o meu contrato a prazo
É de amor a toda a gente (1986)

Acabada a reinação
Vim da festa acompanhado.
Quis passar por gavião,
Acabei pombo anilhado. (1995)

11 comentários:

Sophiamar disse...

Escriba/ Esperança

Estava à espera de ver aqui um post sobre o S. João em Olhão. No Porto passei muitas destas noites no tempo em que já estávamos a gozar as férias grandes. Ia com a família para os Aliados e acabávamos na Ribeira. Mas em Olhão, já mulher, encontrei uma alegria semelhante à que vivi em menina na Invicta.
Gostei das quadras que seleccionaste para a festa do santo na blogosfera.
Bem hajas!

Beijinhos

o escriba disse...

Isabel

Amiga, também quando era miúda, e em adolescenre, ia com meus pais e irmã brincar com os martelinhos para o S. João, no Porto, pois vivi vinte anos em Matosinhos. Era uma diversão e tanto!!!
Da minha terra, sabia que havia ruas enfeitadas, sardinhadas e bailaricos.E prémios. Quando para cá vim ainda apanhei um pouco desta festa tão vivida na rua. Depois tudo morreu! Os vizinhos, a graça, a tradição. A Câmara não ajuda a reerguer esta tradição e as pessoas têm outros divertimentos.
Aqui e ali ainda há quem faça a festa na rua, mas a graça de outrora desapareceu...
Por isso não houve post sobre o S. João em Olhão. Houve lembrança de um outro que conheci melhor.

bjs
Esperança

A Chica Amorica disse...

também gosto muito de versos mas já não á poetas como antigamente nem o s.joão é festejado como quando eu era adloscente.
o seu post é muinto bonito.

bjoka

António Rosa disse...

Foi um prazer conhecer o seu blogue, através do Clube de Bloguistas, pois não tinha tido a oportunidade de cá vir por outro caminho.

Gostei do que vi. Um blogue expressivo e muito bonito.

Abraço

António

o escriba disse...

A chica amorica

obrigada pela visita.

um abraço
Esperança

o escriba disse...

António Rosa

Obrigada pela visita e pelas palavras simpáticas.
Volte sempre!


Um abraço
Esperança

Jorge P.G disse...

Muito gira esta recolha de quadras sanjoaninas!

Um abraço.
Vou regressando ao activo aos poucos e poucos.

Jorge P.G.

Sophiamar disse...

Esperança

Tornei ao teu blog na esperança de que as quadras se mantivessem. É que eu sou uma " mecinha" que gosta de versejar, herança da nha crida mãe e do mê cride pai.
Pôs aqui te dêxe uma mãchinha ( mão cheiinha) delas:

Ó meu rico S. João
dá-me lá um namorico
Santo da minha afeição
Eu preciso de homem rico

Homem rico e bonitão
que comigo queira casar
Não te esqueças S. João
P`ra tia não quero ficar

Fui à Ribeira e cacei
lá um belo mocetão
Mal o vi logo o beijei
E abriu-me o coração

Fomos depois às Fontainhas
mail a malta minha amiga
Comemos boas sardinhas
E de beijos enchi a barriga

De martelinho e balão
foi folia a noite inteira
Ó meu rico S. João
Foi tão boa a brincadeira

Acabámos os dois na cama
emborrachados e a rir
Apagou-se a nossa chama
E o Zé caiu a dormir

Beijinhos Esperança,colega e amiga

o escriba disse...

Jorge

Que prazer na sua visita!!!
Ainda bem que gostou destas quadras e folgo em saber que está aqui está outra vez no activo.

Um grande abraço
Esperança

o escriba disse...

Isabel

Mais outra coisa que temos em comum: o gosto pelo versejar. Então cá vai em jeito de resposta estas cinco quadrazitas:

São tantas coincidências,
sem ter justificação:
gostamos de fazer quadras,
brincámos no S. João.

E não sabemos quem somos...
mas ambas temos lembrança
do local para onde fomos
há muito tempo, em criança.

Diz-me lá tu se souberes
ó meu rico S. João!
Quantas vezes nos cruzámos
de alho porro e balão.

São teias que a vida tece
e o Tempo gera mudança.
A amizade acontece
à Isabel e à Esperança.

Obrigada pela tua amizade, querida Amiga

bjs
Esperança

Anónimo disse...

intiresno muito, obrigado