sábado, 31 de maio de 2008

Memórias

Ontem foi dia de Tertúlia do Clube dos Leitores Sem Tempo, com o tema "Histórias e Memórias".
Uma das tertulianas leu um texto que me fez recuar largos anos. Um vinil oferecido . A voz suave e timbrada de Rui de Carvalho. Ouvido vezes sem conta. Depois guardado no baú da vida.
DESIDERATA

Vai serenamente por entre a agitação e a pressa e lembra-te da paz que pode haver no silêncio. Sem seres subserviente, mantêm-te, tanto quanto possível, em boas relações com todos. Diz a tua verdade calma e claramente e escuta com atenção os outros, mesmo que menos dota­dos e ignorantes; também eles têm a sua história. Evita as pessoas barulhentas e agressivas; são mortificações para o espírito. Se te comparas com os outros podes tornar-te presunçoso e melancólico porque haverá sempre pessoas superiores e inferiores a ti. Apraz-te com as tuas realiza­ções tanto como com os teus planos. Põe todo o interesse na tua carreira ainda que ela seja humilde; é um bem real nos destinos mutáveis do tempo. Usa de prudência nos teus negócios porque o mundo está cheio de astúcia; mas que isto não te cegue a ponto de não veres virtude onde ela existe; muitas pessoas lutam por altos ideais e em todo o lado a vida está cheia de heroísmo. Sê fiel a ti mesmo. Sobretudo não simules afeição nem sejas cínico em relação ao amor porque, em face da aridez e do desen­canto, ele é perene como a relva. Toma amavelmente o conselho dos mais idosos, renunciando com graciosidade às ideias da juventude. Educa a fortaleza de espírito para que te salvaguarde numa inesperada desdita. Mas não te atormentes com fantasias. Muitos receios surgem da fadiga e da solidão. Para além de uma disciplina salutar, sê gentil contigo mesmo. Tu és um filho do universo e, tal como as árvores e as estrelas, tens direito de o habitar. E quer isto seja ou não claro para ti, sem dúvida que o universo é-te disto revelador. Portanto, vive em paz com Deus seja qual for a ideia que Dele tiveres. E quaisquer que sejam as tuas lutas e aspirações, na ruidosa confusão da vida, conserva-te em paz com a tua alma. Com toda a sua falsidade, escravidão e sonhos desfeitos o mundo é ainda maravilhoso. Sê cauteloso. Luta para seres feliz.
Max Ehrmann
Tradução livre de Maria Luisa Peixoto

9 comentários:

elvira carvalho disse...

É um texto lindo. Que eu não conhecia. Obrigada pela partilha.
Um abraço e bom fim de semana

Papoila disse...

Um texto maravilhoso!
Beijo

ana disse...

Ai quem me dera saber expressar-me assim...
Peço desculpa de só agora visitar. As maiores desculpas são para mim que não vim antes e perdi tanta coisa boa.
Beijo verdinho

ana disse...

Escriba
Não devo estar a ver bem, mas não consigo ver o mail...
O meu é anaemcasa@netcabo.pt
Dê-me um toque, para poder dar a informação que pediu ok?
Bjcas

o escriba disse...

Elvira Carvalho

Obrigada pela visita.
É realmente um texto sedutor.
Guardo ainda o vinil que me foi oferecido nuns anos distantes pela minha saudosa mãe. Já não o ouço, mas as palavras não as esqueci.

Bom fim de semana
bjs
Esperança

o escriba disse...

Papoila

Obrigada!

Bom fim de semana.
Bjs
Esperança

o escriba disse...

Ana

creio que é a Lagartinha, não é verdade?
Obrigada pela visita!
Pelo que sei, este texto já vem do século XVII e foi dado a conhecer por Ehrmann. As palavras belas são intemporais.

bjs
Esperança

Sophiamar disse...

Este texto é muito bonito. Tens bom gosto colega. Professora sabe!

Beijinhosssss

o escriba disse...

Isabel

Ainda bem que gostaste! Este texto é uma espécie de manual de atitudes! Assim pudesse eu segui-lo à risca.

bjs
Esperança